Este guia completo do The Podcast Host contém todas as etapas de Como iniciar um Podcast. Incluindo planejamento, equipamentos, gravação, edição, publicação e crescimento. Vamos começar!


Então você quer saber como começar um podcast? Coisa boa! Neste artigo, mostraremos todas as etapas do lançamento do seu podcast, do planejamento à publicação. No final, você saberá exatamente como fazer um podcast e, com sorte, estará motivado a fazê-lo o mais rápido possível!

Como iniciar um podcast em 18 etapas

  1. Por que você está fazendo um podcast?
  2. Para quem é o seu Podcast?
  3. Por que eles deveriam ouvir?
  4. Nomeando seu Podcast
  5. Quanto tempo deve durar um episódio?
  6. Com que frequência devo lançar um episódio?
  7. Escolhendo bons títulos de episódios
  8. Escolhendo um formato de podcast
  9. Equipamento de gravação
  10. Software de gravação e edição
  11. Script do seu programa
  12. Como falar em um microfone
  13. Gravando convidados remotos ou co-hosts
  14. Editando seu Podcast
  15. Música para seu Podcast
  16. Criando capa de podcast
  17. Como publicar seu podcast
  18. Próximas etapas após o lançamento

Simples assim!

Existem 18 etapas, divididas em 8 capítulos. Continue lendo para obter todos os detalhes. Realmente esperamos que este guia lhe dê as habilidades e a inspiração para começar. E, se ajudar, deixe um comentário e nos informe. Nós queremos ouvir.

Ok, chega de enrolar – é isso que devemos evitar!

Vamos descobrir como fazer seu podcast.

PLANEJANDO SEU PODCAST


Há duas grandes perguntas que você precisa se fazer aqui, e uma depende da outra.

1. Para que serve o seu podcast?

Então, primeiro, por que você quer fazer um podcast? Você é freelancer? Tem um negócio? Ou é um gerente de marketing? Nesse caso, você pode ter identificado o podcasting como uma ótima maneira de criar autoridade e fornecer a seus clientes e público-alvo conteúdo valioso e divertido.

Ou você está olhando para podcasting de uma perspectiva amadora? Isso pode significar que você estará criando um programa no seu tempo livre. E o assunto será algo pelo qual você é apaixonado.

Nos dois casos, você pode identificar o seu “porquê”. É importante ter isso em mente, para que você possa se manter motivado, mesmo quando estiver com dificuldades para produzir um episódio.

2. Para quem é o seu Podcast?

Então faça a grande pergunta: para quem você está fazendo este podcast?

O problema é que se você não souber exatamente para quem está fazendo seu show e por que está fazendo isso, você não tem chance de aumentar o público.

Se você está com uma abordagem comercial e é (por exemplo) um personal trainer que deseja fazer um podcast de saúde e fitness, seu público-alvo pode ser pessoas interessadas em uma alimentação saudável, peso perda, exercício ou musculação.

Se você está criando um programa de hobby – digamos que seja baseado no seu amor por zumbis e ficção pós-apocalíptica -, seu público-alvo seria simplesmente pessoas com a mesma paixão. Eles podem ser fãs de programas de TV como The Walking Dead, videogames como Resident Evil, livros como World War Z e filmes como Night of the Living Dead.

Muitas pessoas inteligentes falam sobre a criação de personas de ouvintes ou avatares . É uma boa ideia, descrevendo exatamente por que você gostaria de ouvir o seu conteúdo. Essa persona é algo a ser lembrado toda vez que você planeja um episódio: “João é nossa persona, então precisamos focar no que ele gosta, no que está interessado para criar o podcast”

Essa persona te ajuda a manter um podcast focado e no caminho certo, o que contribui para um conteúdo mais atraente.

Então, sabemos quem você deseja alcançar, como você os alcança? Você precisa dar às pessoas uma razão para ouvir. Isso significa criar conteúdo do qual eles obterão algo quando ouvirem.

3. Dê uma razão para ouvir

Esteja você fornecendo informações que ajudarão alguém a perder peso (no caso de nosso personal trainer) ou fazendo uma entrevista realmente divertida com um de seus autores favoritos (no caso de nosso podcaster de zumbis), você está valorizando seu ouvinte.

Você não apenas deu a eles um motivo para ouvir, mas também deu a eles um motivo para voltar para mais. É importante pensar sobre isso nas etapas de planejamento. Você pode escrever de 10 a 15 episódios em potencial que você acha que seu público-alvo gostaria de ouvir.

QUAL O NOME DO SEU PODCAST?


4. Nomeando seu Podcast

Existem três campos principais quando se trata de criar nomes.

O nome inteligente

Você pode pensar em um nome realmente inteligente para o seu programa. Mas lembre-se de que as pessoas precisam encontrá-lo quando estão procurando informações sobre seu tópico. Se você tem um nome inteligente / cativante para o seu programa, tente também incorporar uma descrição ao título. Não faz sentido divulgar um ótimo conteúdo se ninguém puder encontrá-lo.

Por exemplo, um de nossos programas é chamado “Caminho da Maior Resistência”. Provavelmente se enquadra na categoria ‘nome inteligente’, mesmo que não sejamos tão inteligentes… Então, para dar uma descrição, também usamos o slogan: “O Guia do Líder Incomum”.

O nome descritivo

A opção pesquisável (mas alguns podem dizer chata) é simplesmente chamar seu programa como o que seu público-alvo está procurando. Se nosso personal trainer criou “O Podcast de Mundo Fitness”, não há absolutamente nenhuma dúvida sobre o que é o programa. É uma boa ideia, embora possivelmente reduza o quão memorável é.

Evite ficar muito longo e prolixo se você seguir esse caminho. Lembre-se de que você precisará dizer bastante o nome do podcast ao gravar seus episódios, portanto, verifique se a pronúncia vai ficar legal.

Usando seu próprio nome

Isso é praticamente um não-não, a menos que você já tenha uma audiência. Se alguém começasse o ‘The Mike Smith Show’ e fosse sobre escalada, as pessoas pensariam “quem é Mike Smith?” E passariam para o próximo podcast. Novamente, você pode incorporar isso ao nome do seu programa, juntamente com algo descritivo (‘Escalada na rocha, com Mike Smith’). 

PLANEJANDO SEUS EPISÓDIOS


Depois de estabelecer que tipo de conteúdo você gostaria de divulgar em seu podcast, é hora de pensar nos episódios. Portanto, ao analisar como iniciar um podcast, veja algumas das perguntas mais comuns sobre episódios de podcast.

5. Quanto tempo deve durar um episódio de podcast?

A duração do podcast depende apenas do conteúdo. Não reduza o bom conteúdo e não enrole em conteúdos desinteressantes.

Quanto tempo precisa para transmitir a mensagem? Se você perguntasse à maioria dos ouvintes de podcast, um episódio “curto” provavelmente seria de menos de 15 minutos. E um episódio “longo” provavelmente duraria mais de uma hora.

Muitos referenciarão o tempo de deslocamento médio (em torno de 20 minutos) como uma boa duração. Mas qualquer coisa de 20 a 45 minutos parece estar dentro do “ponto ideal” para a duração de um episódio.

Porém, não se preocupe muito com esses números; em última análise, a duração do seu episódio deve ser decidida por duas coisas.

  1. O seu conteúdo
  2. Seu público

Se você tem 50 minutos de conteúdo valioso e relevante, por que reduzi-lo para 20? Ou da mesma forma, se você disse tudo o que tem a dizer em 10 minutos, por que aumentar para 30? Em casos extremos, digamos que você faça uma entrevista e é uma conversa fantástica do começo ao fim, mas dura duas horas. Você sempre pode cortar ao meio e criar dois episódios.

Com o tempo, seus ouvintes dirão se eles acham que seus episódios são curtos ou longos demais. Tente pesquisar seu público-alvo uma vez por ano para coletar dados como esse, e você pode ajustar de acordo com essas informações.

Não há necessidade de manter a mesma duração sempre, mas é bom ter uma ‘média’ para que seus ouvintes saibam o que esperar.

Finalmente, a duração pode realmente ser um diferencial. Episódios curtos e rápidos de 4 minutos podem se adequar a um certo tipo de ouvinte, ou grandes entrevistas em profundidade de 3 horas podem se adequar a outro. 

6. Com que frequência devo lançar novos episódios?

Essa é uma das principais perguntas dos iniciantes. Aqui está a resposta:

Normalmente, a melhor frequência é aquela que você pode cumprir regularmente.

Portanto, se você puder gravar apenas uma vez por mês, tudo bem. Se você pode gravar a cada 2 semanas, melhor ainda. Se você pode gravar semanalmente, isso é ótimo.

Você ainda pode ter um grande impacto com um programa quinzenal ou mensal, mas as pessoas planejam suas vidas em dias da semana. É a rotina tomando conta das nossas vidas, é inteligente explorá-la.

Dito isto, manter uma periodicidade apenas por manter é inútil. Você terá um impacto maior se divulgar um excelente episódio por mês, em vez de um episódio muito comum a cada semana.

Podcasting em temporadas

O uso de temporadas tira o podcast da esteira da publicação, trazendo a diversão de volta à produção de conteúdo!

Começar um podcast não precisa ser como pular em uma esteira, onde você tem que começar um novo episódio toda semana / quinzena / mês. Você pode planejar seu podcast como as séries da TV.

Quando você inicia um podcast sazonal, cada temporada geralmente tem um tema. Você pode criar episódios com base nesse tema ou tópico para 6 a 12 episódios e fazer uma pausa. Depois de um mês ou dois, você iniciará uma nova temporada (com outro tema / tópico) e repetirá o processo.

Um exemplo de podcast sazonal é o nosso Podcraft Podcast , em que a primeira temporada era sobre ser um podcaster iniciante. Em seguida, a segunda temporada foi sobre equipamentos de podcast, a terceira temporada foi sobre a criação de um site de podcast e assim por diante.

Se o seu conteúdo for apropriado, você poderá transformar cada temporada em um curso ou um e-book mais adiante, existe muitos benefícios no podcasting sazonal. Uma armadilha, porém, é que você pode perder força (e o interesse do seu público) durante os intervalos. Descobrimos, porém, que se você os preparar e explicar quando voltará, combaterá os dois problemas. Afinal, você não pode perder o seu próprio prazo!

7. Escolhendo bons títulos de episódios

Assim como escolher um nome para o seu podcast, é importante escolher títulos bons, pesquisáveis ​​e descritivos para seus episódios.

O maior erro quando se trata de nomear seus episódios é chamá-los de “Episódio 1”, “Episódio 2” e assim por diante. Ninguém vai saber o que esperar se ouvirem. O ponto principal de um podcast é que as pessoas possam ouvi-lo, portanto, dê um motivo para clicar em um dos seus episódios.

Deixe claro para as pessoas o que elas receberão ao ouvir seu programa. Se você procurar em qualquer diretório de podcast, verá programas com títulos como “Como fazer …”, “Cinco dicas para …” etc. Eles são populares porque funcionam. Você só precisa ter certeza de que está entregando no episódio o que prometeu no título.

O benefício extra disso é que o iTunes permite pesquisar pelo nome do episódio. Assim, você pode aparecer não apenas pelos termos do título do podcast, mas pelas palavras-chave nos nomes dos episódios. Isso oferece um nível extra de alcance se você os nomear bem.

FORMATO DE PODCAST


8. Escolhendo um formato de podcast

O formato escolhido é realmente pessoal e depende de quem está envolvido! Se for apenas você, então não fará um programa com co-host tão cedo.

O problema é que aqui é semelhante ao tamanho do seu podcast: embora seja bom ter um formato “médio”, para que seus ouvintes saibam o que esperar, você não precisa se ater a ele todas as vezes.

Você pode se sentir confortável com um determinado formato e se acomodar, ou pode preferir uma abordagem mista. Depende totalmente de você. Então, quais são os tipos comuns de formato de podcast?

Podcast Solo

Também conhecido como monólogo.

Benefícios: Você não precisa contar com mais ninguém para gravar seus episódios, e está construindo uma reputação de autoridade no assunto. O podcast também é exclusivamente seu, para que você possa fazer chamadas de patrocínio e monetização. E você não precisa dividir os lucros com ninguém.

Desafios: É um estilo de show mais intimidador para o iniciante em podcaster. Um dos maiores desafios do programa solo é superar a sensação de que você está ‘falando consigo mesmo’ e perceber que está realmente falando com o ouvinte.

Podcast com Co-Host

Apresentando ao lado de um amigo ou colega.

Benefícios: Uma ótima maneira de contornar o ‘medo do microfone’ ou gravar sozinho é conversar no programa com outra pessoa. Se você encontrar o Co-host (co-anfitrião) certo, terá alguém para se destacar, debater ou até mesmo zombar (não seja muito mau!). Alguns podcasts com co-hosts têm uma ótima química entre os apresentadores. Isso pode criar uma ótima experiência para os ouvintes.

Desafios: Você não precisa conciliar a sua agenda e da outra pessoa para gravar. Há também a questão da propriedade: de quem é o podcast, você divide alguma renda futura em 50/50? E o que acontece se o seu co-anfitrião perde o interesse ou fica indisponível no futuro?

Podcast de Entrevistas

‘Usar’ a experiência ou histórias de outras pessoas.

Benefícios: Conversando com seus heróis. Fazer um programa de entrevistas dá a você a oportunidade de conversar com alguém que você sempre admirou. Além disso, seus convidados terão seu próprio público, que poderá ouvir a entrevista e acabar assinando seu programa. Se bem feito, você pode realmente aumentar o seu público.

Desafios: Entrevistar é uma habilidade que você precisará aprimorar através da prática. Você precisará constantemente encontrar e abordar possíveis convidados , agendar entrevistas e contar com outras pessoas para comparecer (pessoalmente ou digitalmente). Você também precisa contar com a tecnologia (como o Skype) para funcionar corretamente durante cada chamada.

Outros Formatos

Por fim, existem vários outros formatos que não são tão comuns, mas podem ser adequados para você.

Por exemplos:

  • Mesa Redonda – Um host regular e vários convidados, conversando sobre um tópico específico (por exemplo, a Mesa Redonda de Clipes de Papel ).
  • Documentário – Um narrador orienta você em várias entrevistas, conversas e reportagens (por exemplo, UK Business Startup )
  • Docu-Drama – Uma mistura entre drama e documentário. Oferecendo aprendizado e informações, mas de uma maneira divertida (por exemplo, Hostile Worlds ).

GRAVANDO SEU PODCAST


Então, depois de fazer as bases e planejar seu programa, é hora de começar a gravar o seu primeiro episódio.

9. Equipamento de Gravação

Como regra geral, o mínimo necessário para gravar um podcast é um computador com microfone embutido e acesso à Internet, porém, quanto mais limitado e menor o custo do seu setup, mais limitada será a qualidade do som do seu programa.

Dito isto, opções simples de microfone USB podem oferecer ótimos resultados se você escolher o microfone certo. Além disso, é muito melhor começar e ver se você gosta disso antes de gastar grandes somas de dinheiro em equipamentos de áudio.

Com isso em mente, um microfone simples como o Senheisser PC8 pode ser um ponto de partida perfeito.

Há um benefício em manter as coisas simples, pois é muito fácil de gravar. Isso significa que você poderá manter o programa regularmente nos primeiros dias e realmente se dar a chance de criar seguidores leais.

Se você quiser dar um passo maior, pode procurar um microfone USB melhor. Algo parecido com o Audio-Technica ATR2100 é um microfone de qualidade e acessível.

Se você planeja fazer muitas entrevistas pessoalmente, o Rode Smartlav + é uma ótima ferramenta. Dois deles, além do divisor SC6, proporcionam uma configuração de entrevista realmente leve e simples .

A partir daí, você pode mudar para um microfone USB ainda melhor (como o Rode Procaster ), ou talvez atualizar sua configuração com um gravador digital (usamos o Zoom H6 ) ou até um mixer ( Yamaha MG10 ). Seja cauteloso em complicar demais as coisas, No entanto, mais complicações significam que podem produzir com mais qualidade.

Se você está procurando mais informações sobre equipamentos, aqui está uma lista para começar:

E se você não quer comprar equipamento, o BDG pode te alugar, veja aqui.

10. Software de Gravação e Edição

Ao conectar o microfone USB ao computador, você precisará de algum software para gravar e editar o áudio. A boa notícia é que existem algumas opções para isso, e uma delas não custa nada.

  1. Audacity : um aplicativo de edição de áudio gratuito e de boa qualidade. Para a maioria das pessoas, atende a todas as suas necessidades de podcasting.
  2. Adobe Audition : minha ferramenta de produção de nível profissional favorita – curva de aprendizado acentuada, mas excelente fluxo de trabalho e rico em recursos. Está disponível através de uma assinatura paga. Compare o Adobe Audition VS Audacity .
  3. Alitu: The Podcast Maker : a experiência mais fácil possível. Este é um aplicativo da web que pode automatizar a limpeza de áudio, adicionando música e publicando ao seu host. Também oferece ótimas ferramentas de edição e criação de episódios.

Se você é um usuário de Mac, provavelmente terá o Garageband instalado por padrão em sua máquina. Este é um software de áudio popular também com podcasters, embora as versões recentes realmente reduzam os recursos que ele oferece.

E se você não tem tempo ou paciência para editar, o Bicho de Goiaba está aqui para te ajudar, faça um orçamento clicando aqui.

11. Roteiro do seu programa

Depois de configurar o microfone e o software de edição, você estará pronto para apertar o ‘Rec’ – mas o que você vai dizer? É aí que entra o roteiro ou script.

Quando falamos sobre ‘script’, é fácil imaginar um ensaio onde será lido palavra por palavra para gravar seu episódio de podcast. Essa abordagem pode funcionar, mas é apenas para programas altamente produzidos e muito editados.

Por quê?

Para começar, é necessário um longo tempo para escrever um roteiro detalhado, portanto, se você estiver trabalhando sozinho, não conseguirá gravar toda semana.

Em seguida, a menos que você pratique muito isso, como os apresentadores famosos, é realmente difícil esconder que você está lendo. E ouvir alguém lendo um roteiro é muito, muito chato …

A essência do podcasting é ser uma conversa, em oposição a um sermão. Portanto, tente se afastar de um programa totalmente roteirizado com marcadores de tudo o que você deseja cobrir. Com o tempo, isso se tornará mais fácil, até que, eventualmente, escrever um script completo pareça desnecessário.

Já falamos sobre scripts invisíveis antes , e é exatamente isso que você deseja.

Além disso, a maneira como você abre e fecha seus episódios também é realmente importante!

12. Conversando com um microfone

Essa é provavelmente a coisa mais difícil de conquistar ao aprender como iniciar um podcast. Não dificulte imaginando que está “conversando consigo mesmo” ou “conversando com um microfone”. Em vez disso, concentre-se em conversar com uma única pessoa. Falamos sobre quem é seu Público anteriormente, sua persona. Se você tem um negócio, você já pode ter essa persona ou “avatar” esboçado. Lembre-se, um avatar é basicamente o seu cliente / ouvinte ideal.

Ao criar essa persona, cabe a você a quantidade de detalhes que você coloca. Algumas pessoas chegam a criar empregos, hobbies, gostos, desgostos, família, amigos etc. O ponto aqui é que manter uma conversa com eles, em vez de você ou o microfone, parecerá muito mais natural e atraente. Isso significa que todos que ouvem sentem que você está falando diretamente com eles. E isso leva à construção e fortalecimento de relacionamentos ao longo do tempo.

13. Convidados ou co-hosts remotos

Quer você tenha um co-anfitrião em outro país ou entrevistados regulares de todo o mundo, não é difícil gravar seu bate-papo com eles.

Uma das maneiras mais comuns de fazer isso é usar o Skype e gravar a chamada. Eu uso o Ecamm (somente Mac) para isso, e você pode encontrar outras opções em nossos artigos sobre Gravação de chamadas pelo Skype.

Outra opção é o Zoom.us, que é uma ferramenta de videoconferência gratuita para 2 pessoas e gratuita por até 40 minutos para um grupo de pessoas. Leia os prós e contras do Zoom no podcasting aqui.

Por fim, existem algumas boas ferramentas de gravação mais profissional por aí, o que significa que elas gravam cada pessoa ao vivo em seu próprio computador. Dessa forma o áudio não é compactado para ser transmitido on-line e você não ouve as falhas de conexão padrão do Skype. Um dos melhores é o Squadcast.

PRODUZINDO SEU PODCAST


Próxima parada, produção! É aqui que você edita erros, junta diferentes clipes de áudio, adiciona música ou efeitos visuais e garante que tudo esteja ótimo com EQ, nivelamento, compactação e muito mais.

14. Editando seu Podcast

Para começar use o Audacity que é gratuito e tem milhares de tutoriais no youtube. Aos poucos você vai aprendendo e melhorando seu podcast.

Peça a alguém para editar seu programa.

Se você estiver disposto a gastar um pouco de dinheiro para economizar tempo, poderá sempre terceirizar sua edição e contratar outra pessoa para fazer isso por você. Faça uma orçamento sem compromisso aqui no Bicho de Goiaba clicando aqui.

15. Música para o seu podcast

Não há regra para dizer que seu podcast deve ter música, mas muitos optam por adicionar alguns no início e no final para adicionar essa camada extra de profissionalismo.

Embora você possa ver filmes ou programas de TV com mais de 1 minuto de música de introdução, não faça isso no seu podcast. Eu recomendo que você não quer ter uma música por mais de 15 segundos.

Que música posso usar?

Existem muitos sites com música que você pode usar legalmente no seu podcast. Esse tipo de música geralmente é chamado de música livre de royalties. Normalmente, você pode pagar uma taxa única por uma música que lhe permita usá-la em seu programa, ou obter assinaturas que lhe dão acesso a uma enorme biblioteca.

É possível encontrar músicas gratuitas se você procurar por músicas licenciadas ‘creative commons’, mas geralmente são muito usadas e não são da boa qualidade.

Também existem níveis variados de licenças de criativos comuns. Alguns são muito liberais, enquanto outros o proíbem de usar essa música para fins comerciais. Sempre verifique o site de origem e verifique se você tem permissão para usar uma determinada música.

Onde posso encontrar música de podcast?

Existem alguns bons lugares para obter música de podcast. Primeiro, você tem a opção gratuita: Incompetech. É bom, mas como é uma das únicas fontes gratuitas, todo mundo está usando as mesmas músicas. Você ouvirá sua trilha em todo podcast, você não terá exclusividade.

Se você pode gastar até US $12, terá algo mais exclusivo. Para isso, usamos o Audioblocks , que é um serviço de assinatura mensal, embora você possa cancelar após o primeiro mês e ainda obter 3 faixas no nível mais barato.

Para essa assinatura, você tem acesso a mais de 100.000 faixas de música, loops e efeitos sonoros para animar seu show. Audioblocks permite que você use suas músicas para sempre, então use por um mês, baixe uma variedade de faixas e experimente. Você sempre pode cancelar após o primeiro mês e continuar usando as faixas baixadas.

Se você quer realmente intensificar as coisas, também há o Music Radio Creative, que criará introduções e outros itens personalizados para o seu programa usando músicas e narrações profissionais. Ou você pode pedir a um amigo ou banda musical para criar algo para você ou usar uma das músicas existentes.

16. Arte da capa

Assim como os títulos dos episódios, as primeiras impressões são tudo. Ter uma capa atraente que se destaque é vital quando o seu programa se alinha com milhares de outro no iTunes, Spotify etc..

Assim como a música, o licenciamento de creative commons também pode ser encontrado na arte visual. Muitos podcasters usam imagens criativas para criar capas em plataformas como o Canva .

Idealmente, a arte da capa deve ter pelo menos 1400 x 1400 pixels, em formato JPG ou PNG e tamanho inferior a 500 kb. Atenha-se a essas especificações e ajudará a evitar problemas em diretórios como o iTunes. Seu trabalho artístico geralmente é visualizado por possíveis ouvintes em um formato muito menor; portanto, evite sobrecarregá-lo com detalhes que podem transformá-lo em um confusão visual. Deve ser claramente legível quando tiver apenas cerca de 200 px de largura.

PUBLICANDO SEU PODCAST


17. Como publicar seu podcast?

Hospedagem de Podcast

Quando se trata de divulgar seu podcast para todo mundo ouvir, você precisará de um servidor. Os servidores são serviços que armazenam seu áudio e permitem que seus ouvintes escutem, baixem e assinem seu podcast.

Um equívoco comum quando se inicia um podcast é que você hospeda o podcast no iTunes ou Spotify. Isso não acontece, essas plataformas apenas redirecionam para o seu servidor.

Em resumo, você precisa se inscrever em um serviço de hospedagem de mídia para hospedar seus arquivos de áudio e pode ter um site ou blog configurado também.

Usamos o soundcloud e o anchor.fm que são gratuitos.

Submetendo as agregadores (itunes, Spotufy, Dezzer etc.)

Depois de hospedar seu programa no host de sua escolha, você poderá enviá-lo para vários agregadores, onde os ouvintes poderão descobrir, se inscrever e fazer o download.

Um bom host já tem um conjunto de ferramentas que facilitam a inscrição do seu programa nos Podcasts da Apple, Spotify, Podcasts do Google e em outros locais populares.

COMO INICIAR UM PODCAST: PRÓXIMAS ETAPAS


18. Próximas etapas

Depois que seu podcast é lançado no mundo, é hora de você pensar em promover e construir sua base de ouvintes.

Se você colocar esse trabalho em prática, seguir em frente e fornecer sempre um ótimo conteúdo para o seu público, estará em condições de pensar em gerar receita com seu podcast .

Boa sorte!

Categorias: Podcasting

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *